• Amman Consultoria

O Turismo de Bem-Estar e uma nova perspectiva para o Turismo e a Hotelaria


Uma das tendências do setor ganha os holofotes durante a pandemia. Experiências exclusivas e integrativas podem tornar negócios mais atrativos e garantir lucratividade pós-COVID-19.


Para falar de turismo de bem-estar, precisamos antes contextualizar não só o seu significado, mas também o momento atual em que vivemos.

O Global Wellness Institute sugere que o turista de bem-estar realiza uma “viagem associada à busca de manter, gerenciar ou melhorar o seu bem-estar pessoal”. Ou seja, atividades turísticas destinadas à manutenção e prevenção da saúde. Trata-se de uma tendência já conhecida e explorada anteriormente pelo setor, mesmo que de forma gradual, resultado do aumento do estresse urbano e a busca pela qualidade de vida.

Hoje, com a retomada das atividades econômicas com algumas medidas por alguns países, e tímidas movimentações e incertezas em outros, como o caso do Brasil, este conceito não perdeu sua força. Pelo contrário, especialistas já enxergam o turismo de bem-estar com destaque, com perspectivas e oportunidades para o segmento.

O turismo de bem-estar está em alta

Seja wellness o principal atrativo, ou parte integrante das experiências de uma viagem, o turismo de bem-estar está em alta, e responde aos conceitos sociais atuais, que buscam uma mudança no modo como cuidamos de nós mesmos. Uma associação de mente, corpo e espírito, além da sociedade e do planeta. Por meio de tratamentos desintoxicantes ou relaxantes, a ideia é justamente trazer um novo conceito de vida saudável e equilibrada, promover a melhoria das condições físicas e emocionais, e até mesmo reforçar a prevenção de doenças.

No cenário atual, onde o que mais se tem buscado é saúde, já é visível a preocupação com aglomerações, dos mais diversos modos. Especialistas já apontam o aumento da procura por destinos turísticos menos massificados, hotéis com menor capacidade, atividades ao ar livre, maior contato com a natureza, e, sobretudo, uma maior preocupação com a sustentabilidade. A valorização de empresas e marcas com compromissos com a comunidade e com o meio ambiente estão tomando os holofotes em diversos setores da economia.

Inovar para fazer a diferença

Por isso, em tempos de COVID-19, é fundamental estar preparado, inovar e buscar soluções criativas para atender às necessidades de um novo consumidor que está surgindo - mais exigente, preocupado com a limpeza, a segurança e a qualidade dos serviços oferecidos. Trata-se de uma oportunidade única para negócios se destacarem e conseguirem fazer a diferença em seus serviços e setores.

Atividades exclusivas, experiências ou tratamentos personalizados, são atrativos que não precisam necessariamente de um alto investimento, nem da transferência do custo ao cliente potencial. O ponto alto do turismo de bem-estar é integrar hábitos e práticas saudáveis, que melhorem a saúde e incentive a transmissão de novos conhecimentos para a vida cotidiana, após a experiência.

O bem-estar adaptado ao seu negócio e ao seu cliente

Por isso, explorar o contato com a natureza, os ambientes externos que já fazem parte do seu espaço, ou oferecer serviços individuais e personalizados para cada tipo de cliente, podem se tornar atrativos ao consumidor que terá a intenção de sair de casa pós-pandemia, mas não ter contato com aglomerações.

Massoterapia, aromaterapia, musicoterapia, yoga, meditação, caminhadas ao ar livre, atividades físicas direcionadas, ou até um cardápio de refeições naturais, orgânicas e funcionais, são sugestões que podem ser exploradas e adaptadas ao seu negócio de forma profissional, fazendo com que seu cliente se sinta bem-vindo e especial.

Dentro deste contexto, é imprescindível oferecer um ambiente limpo e desinfetado, dentro das normas estabelecidas pelo órgão de saúde regulador, mas também treinar profissionais para transmitir o mesmo cuidado com o cliente. Experiências de bem-estar autênticas envolvem também treinamento e capacitação profissional. A sensação de bem-estar começa do início ao fim da vivência.

Hoje, o futuro do turismo ainda é incerto. Mudanças estão ocorrendo em tempo recorde, adaptações constantes são necessárias e, mais do que nunca, nos encontramos num momento de reflexão. Trata-se de um ótimo período para rever propósitos e estratégias de negócio, além de estudar a fundo clientes e como surpreendê-los.

Um ótimo exemplo é o próprio mercado de bem-estar, que também está se movimentando. Soluções alternativas além da massoterapia, ou seja, sem o toque, estão surgindo, mantendo o propósito de relaxamento e interiorização.

O momento pede inovação, e os negócios de destaque serão justamente aqueles que pensarem “fora da caixa”, desconstruindo conceitos, mas entregando o melhor da experiência. Otimizar espaços, com pouco investimento e boas soluções pode ser uma ótima estratégia competitiva.


Precisamos ser empreendedores e flexíveis, resilientes o suficiente não só para sobreviver, mas também para adicionar profundidade significativa aos nossos serviços. Bem-estar é uma necessidade de todos.


59 visualizações0 comentário